Falta de unidade freia crescimento político de evangélicos

O crescente número de evangélicos registrado nos últimos anos faz do segmento um atraente nicho de potenciais eleitores. De 1940 a 2000, passaram de 2,6% para 15,4% da população brasileira. Hoje, são cerca de 30 milhões de fiéis em todo o país. Por outro lado, rejeição por parte de setores laicos ou ligados a outras religiões e falta de unidade entre as igrejas têm limitado o poder político do rebanho.

Congresso em Foco |

Leia a íntegra no Congresso em Foco

    Leia tudo sobre: eleiçõesevangélicos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG