Falta de saneamento básico prejudica a saúde no Brasil

Relatório das Nações Unidas traz novas variáveis que provocam queda no Índice de Desenvolvimento Humano de saúde

Bruno Folli, iG São Paulo |

A saúde do brasileiro está diretamente relacionada ao fornecimento de água potável e às condições de saneamento básico.

Esses indicadores estão interligados pela primeira vez no relatório do Programa das Nações Unidas pelo Desenvolvimento (PNUD) , divulgado nesta sexta-feira (23).

O relatório mostra o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) corrigido pela desigualdade. “Foram consideradas novas variáveis na saúde. Não há o indicador de expectativa de vida”, explica o economista Flavio Comim, consultor do PNUD no Brasil e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

O especialista afirma que houve uma queda do IDH de saúde ao modificar as variáveis de análise. “Ele passou de 0.832 para 0.728”, detalha. “É uma queda muito significativa”, avalia.

A relação da saúde com o fornecimento de água potável é muitas vezes ignorada para dar lugar aos investimentos em serviços de saúde. Embora esses serviços sejam fundamentais, na opinião do economista, o poder público deve investir mais em saneamento básico e distribuição de água. Isso precisa ganhar mais atenção nas estratégias de planejamento de melhorias em saúde.

Cobrança sobre os mais pobres

Outro problema que prejudica o desenvolvimento da saúde no Brasil, de acordo com o economista, está relacionado à cobrança de impostos. “Ainda há muita cobrança da população com menos recursos, sendo que pouco é devolvido em serviços como os de saúde”, afirma Comim.

A saúde, no contexto geral de desenvolvimento, é tida como um dos itens fundamentais. “Seu peso está próximo ao da renda, embora o maior impacto ainda seja provocado pela educação”, explica.

    Leia tudo sobre: PNUDdesenvolvimentodesigualdade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG