Falta de estrutura complica viagens à Baixada Santista

Com 176 quilômetros de extensão e um esquema pioneiro de operação de pistas, o Sistema Anchieta-Imigrantes está rendido à falta de estrutura viária de seus extremos - o que faz as viagens à Baixada Santista nos feriados prolongados e fins de semana da temporada serem, digamos, inesquecíveis. As obras que, segundo especialistas, deveriam complementar o sistema e eliminar os gargalos, são tocadas em marcha lenta ou sequer saíram do papel.

Agência Estado |

Se fizer tempo bom nos próximos feriadões, a previsão para os motoristas que vão enfrentar as rodovias Anchieta e Imigrantes é de caos, como no ano passado. Ontem, na volta do feriado da Consciência Negra, com movimento abaixo do previsto pela Ecovias, houve 14 km de lentidão na chegada a São Paulo, às 18 horas.

O trajeto, feito normalmente em 50 minutos, chega a quadruplicar nessa época do ano, aproximando-se do tempo médio gasto antes da inauguração da segunda pista da Imigrantes, em 2003. Sem ela, o motorista levava cinco horas. No dia 28 de dezembro de 2007, o congestionamento atingiu 53 quilômetros às 16h30. A espera nos pedágios era de meia hora. De lá para cá, nada foi feito para melhorar os extremos do sistema. As informações são do Jornal da Tarde .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG