Falhas marcam primeiro dia de bilhete único no Rio

Hoje foi o primeiro dia útil de funcionamento do bilhete único intermunicipal do Rio de Janeiro, sistema criado pelo governo do Estado que permite viagens intermunicipais na região metropolitana com até uma baldeação no período máximo de duas horas por R$ 4,40. Na Central do Brasil, uma das filas reunia esta tarde mais de 100 pessoas: algumas tiveram problemas ao usar o bilhete, outras queriam fazer o cadastramento ou a recarga de cartões.

Agência Estado |

Funcionário de uma confeitaria no centro do Rio, Adelmo de Oliveira, de 31 anos, morador de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, foi uma das pessoas que não conseguiu completar sua viagem usando o bilhete único. Depois de pegar um ônibus intermunicipal (R$ 4,30), Oliveira só não precisou tirar mais dinheiro do bolso para o Metrô (R$ 2,80) porque, explicado o problema, um segurança da estação Central liberou sua passagem, disse. "O bilhete vai ajudar, mas precisa funcionar."

Para o secretário de Transportes, Júlio Lopes, "foi um primeiro dia de bastante sucesso". Apesar de reconhecer a necessidade de ajustes, ele disse que o sistema "funcionou dentro do previsto". Segundo ele, os passageiros serão ressarcidos. "Devem procurar o serviço de reclamação, pelo telefone 2127-4000. Houve erros pontuais que estão sendo resolvidos. Temos o segundo maior sistema do Brasil, atrás apenas de São Paulo, e um dos maiores do mundo", declarou.

Na capital de São Paulo, os passageiros têm até três horas para usar o bilhete, uma a mais que no Rio. Lopes justificou a restrição citando pesquisas e o orçamento do Estado. "O tempo médio máximo do deslocamento na região metropolitana é de 68 minutos. Pelas pesquisas, vamos atender a 98% do público", disse. "Aos poucos vamos adequando o sistema. Poderemos talvez possibilitar mais uma viagem e mais tempo. É mais razoável ampliar no futuro do que oferecer um sistema muito amplo com vistas à eleição e depois reduzir. A medida foi responsável. São Paulo levou 5 anos para fazer a ampliação benefício." O subsídio previsto para 2010 é de R$ 220 milhões.

Balanço parcial divulgado pela secretaria mostra que até as 11 horas de ontem 12.669 pessoas haviam usado o bilhete único. As 20 cidades da região metropolitana têm 16 mil ônibus habilitados a receber o bilhete - também foram instalados 284 validadores de cartões nas estações de trem, 150 nas de Metrô, 52 nas Barcas e 422 em vans. O sistema tinha 29.360 cadastrados até ontem. Segundo Lopes, 1,7 milhão de usuários de vale transporte já migraram para o bilhete único, do total de 2,5 milhões, por decisão das empresas. "Muitos não sabem que têm o benefício."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG