Delegado descarta possibilidade de motorista ter tido um mal súbito. Acidente deixou dois mortos e 30 feridos

O delegado da Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba, Armando Braga Moraes Neto, descartou nesta sexta-feira que o acidente com um ônibus ocorrido na quinta-feira, no centro de Curitiba, que deixou dois mortos e mais de 30 feridos, tenha sido provocado por um mal súbito do motorista José Aparecido Alves, de 49 anos. Essa hipótese foi levantada pela Polícia Militar e pela Companhia de Urbanização de Curitiba (Urbs), que gerencia o transporte coletivo. "Isso está totalmente descartado", afirmou o delegado.

Autuado em flagrante por dois homicídios culposos, Alves foi detido ontem logo após prestar depoimento. "Ele foi identificado como causador logo em seguida e, dada a gravidade da situação, achamos por bem fazer a detenção e arbitramos a fiança", justificou o delegado. Alves foi liberado nesta madrugada, após o advogado contratado pelo Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba ter feito o pagamento da fiança.

De acordo com o delegado, que tinha ouvido seis pessoas, "tudo aponta para que tenha havido uma falha mecânica". O motorista teria assumido o carro no ponto em frente à Catedral de Curitiba. "Ele disse que, ao colocar o veículo em marcha, em vez de uma aceleração de maneira progressiva e normal, o acelerador ficou como que travado em velocidade máxima e, mesmo acionando os freios, não foi capaz de parar, dada a potência do veículo", afirmou o delegado.

Motorista perde controle do ônibus e invade loja Pernambucanas no centro de Curitiba
AE
Motorista perde controle do ônibus e invade loja Pernambucanas no centro de Curitiba

O ônibus bateu na lateral de um táxi, furou um sinal vermelho e acertou um automóvel antes de subir na calçada, atingir um ponto de ônibus e ser parado na parede de uma loja de departamentos. Foi pedida perícia, particularmente nos conjuntos que comandam a aceleração, o freio e a direção. O delegado também vai requisitar o laudo de vistoria do veículo que teria sido feita no dia 22 de março. A Auto Viação Redentor, responsável pela linha, disse que só vai se pronunciar quando os laudos da perícia estiverem prontos.

Dois pedestres acabaram morrendo: o técnico do Teatro Guaira Edison Pereira da Silva, de 56 anos, e o aposentado Carlos Alberto Fernandes Brantes, de 63 anos, que atualmente fazia estudos no Instituto Histórico e Geográfico do Paraná. Entre os acidentados, quatro ainda continuam internados.
As causas do acidente são apuradas.

Pessoas que estavam em ponto de ônibus ficaram feridas
AE
Pessoas que estavam em ponto de ônibus ficaram feridas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.