Falha afeta distribuição de remédio infantil contra gripe A no DF

Duas crianças com suspeita de gripe suína no Distrito Federal demoraram para receber o tratamento com oseltamivir porque a instituição encarregada de fazer o preparo da solução infantil estava em férias. O atraso foi provocado por falha de planejamento, admitiu o subsecretário de Vigilância em Saúde, Alan Kardec Rezende Napoli.

Agência Estado |

Como o remédio infantil tem oferta restrita, o Ministério da Saúde autorizou o uso do produto adulto para o preparo da solução oral em todo o País. “Foi dada orientação para que o preparo das doses infantis fosse realizado com menor quantidade possível de medicamentos, nos meses de menor demanda para evitar desperdício”, explicou Napoli. A operação ficava a cargo do laboratório de uma faculdade particular - a Unieuro.

“Era um esquema improvisado, informal mesmo”, admitiu o coordenador das doenças imunopreveníveis do GDF, José Edson Pelicano. “Nem tudo no serviço público é feito com contrato, com licitação. É assim mesmo”, completou. No mês de janeiro, o laboratório entrou de férias e o preparo foi interrompido. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG