Faixas anunciam serviço de publicidade irregular em SP

Desafiar a Lei Cidade Limpa custa R$ 39,90 em São Paulo. É o preço de uma faixa de 1,5 m por 70 cm com direito à fixação em postes de esquinas movimentadas e a garantia de que o anúncio vai durar entre 10 e 15 dias, se não estiver numa avenida grande.

Agência Estado |

Como deboche à legislação municipal que mudou a paisagem urbana nos últimos três anos, tem até faixa fazendo promoção do serviço.

A Prefeitura conseguiu acabar com os outdoors e tornar mais discretas as fachadas comerciais. Mas continua sendo desafiada pelas faixas clandestinas penduradas em todas as regiões da capital com anúncios que vão de "massagem afrodisíaca" e "amarração de amor" até reforço escolar e venda de apartamentos em áreas nobres. No ano passado, o número de multas aplicadas por desrespeito à lei Cidade Limpa caiu pela metade se comparado ao de 2008: de 1.085 para 501. Mas a quantidade de faixas e placas removidas manteve a média de 11 por hora, 96 mil por ano.

"Como a cidade vai se adequando à legislação, as multas diminuem mesmo", disse Alfonso Orlandi Neto, supervisor de Uso e Ocupação do Solo da Secretaria de Coordenação de Subprefeituras. "Mas o problema da faixa não se resolve só com fiscalização. É preciso investigar." Além da dificuldade de encontrar os responsáveis pelos anúncios clandestinos, Orlandi diz que a Prefeitura tem de vencer a extensão da cidade: são os dois maiores entraves na fiscalização da Cidade Limpa, segundo ele. São 700 agentes para fiscalizar 1,5 mil quilômetros quadrados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG