Faculdade de SP recruta pacientes para estudo sobre enxaqueca

O departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina do ABC, em São Paulo, iniciou ontem uma triagem de pacientes para realizar seu primeiro estudo sobre enxaqueca. Os interessados devem ter dores de cabeça há mais de três meses, com pelo menos dois episódios ao mês.

Agência Estado |

Entre ontem e hoje, pelo menos 25 interessados se cadastraram para o estudo, que tem por objetivo comparar a eficácia de duas novas drogas no tratamento preventivo da enxaqueca.

Os candidatos passarão por uma triagem, serão avaliados e receberão diagnóstico do tipo de cefaléia. A partir da seleção inicial, os pacientes selecionados serão incluídos em grupos de tratamento gratuito. A pesquisa terá duração de três meses e o acompanhamento será feito através de consultas mensais.

A enxaqueca é uma condição comum na população geral, segundo André Leite Gonçalves, médico associado do Ambulatório de Cefaléias da Medicina ABC. "A enxaqueca é uma doença neurológica crônica, de extremo impacto na sociedade e no indivíduo afetado. Caracteriza-se por crises de cefaléia recorrentes que duram entre 4 e 72 horas. A dor é do tipo pulsátil, por vezes unilateral, acompanhada de sensibilidade à luz e ao barulho, náuseas e vômitos", explica Gonçalves.

Classificada como cefaléia primária, a enxaqueca é determinada geneticamente e tem entre as principais causas alterações hormonais, fatores dietéticos, mudanças ambientais, estímulos sensoriais e estresse.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG