A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) lança na próxima quinta-feira a Tomografia de Impedância Elétrica (TIE), que utiliza correntes elétricas de baixa intensidade e alta freqüência pelo corpo humano, destinada a monitorar os pulmões e reduzir os dados causados pela ventilação artificial. Inédito no mundo, o equipamento já vinha sendo usado desde 2006, em caráter experimental, por pacientes da UTI respiratória do Hospital das Clínicas/FMUSP e do Instituto do Coração (InCor).

O tomógrafo ajuda o médico a monitorar, em tempo real, a condição dos pulmões enquanto o paciente é submetido à respiração artificial, possibilitando ao profissional controlar adequadamente o volume, a pressão e o fluxo do ar injetado. Dessa forma, é possível diminuir os riscos de lesão pulmonar provocada por uma má distribuição do ar. A TIE também é utilizada para detectar pneumotórax e analisar perfusão pulmonar.

Desenvolvido pelo Laboratório de Pneumologia Experimental da faculdade em parceria com a Escola Politécnica e o Instituto de Matemática Aplicada, ambos da USP, o tomógrafo será comercializado em pequena escala para centros de pesquisa. Nos últimos quatro anos, o projeto contou ainda com a colaboração da empresa Dixtal Biomédica, especializada em equipamentos médico-hospitalares.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.