FAB encerra buscas por vítimas de acidente aéreo

A aeronave C-98 Caravan da Força Aérea Brasileira (FAB) que fez um pouso forçado no igarapé Jacupará, no Amazonas, na quinta-feira, foi adquirida há cinco anos da companhia aérea TAM. A informação é do major brigadeiro Jorge Cruz de Souza e Melo, comandante do 7º Comando Aéreo Regional (Comar), em coletiva à imprensa.

Agência Estado |

Ainda na entrevista, o brigadeiro confirmou o encerramento das buscas, após a localização do corpo do suboficial Marcelo dos Santos Dias, a 2,5 mil metros do local da acidente.

A aeronave, fabricada em 1998, foi adquirida pela FAB da empresa TAM em 1998 e tinha capacidade de transportar 15 pessoas, dos quais, três tripulantes. À bordo da aeronave que caiu estavam 11 pessoas, cujos passageiros eram funcionários da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e realizavam operação rotineira de vacinação no Vale do Javari. Duas pessoas morreram.

"A manutenção do C-98 Caravan mostrava que a aeronave estava em totais condições de voo. A última manutenção foi realizada quando ela atingiu 1,6 mil horas de voo e teria ainda 45 horas até passar por uma nova revisão", afirmou o brigadeiro, entretanto, ressaltando que a FAB ainda desconhece as causas do acidente.

A partir de agora, a operação coordenada pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) deverá focar no resgate da aeronave, que ainda está no fundo do igarapé. "Não sabemos se vamos remover a aeronave dividida em partes ou integralmente", afirmou Souza e Melo. De acordo com chefe de gabinete da Presidência da Funasa, Moisés Sousa Santos, a operação de vacinação não sofrerá mudanças. "Não vamos parar as ações, pelo contrário, precisamos intensificar a vacinação na região", disse. A região do Vale do Javari registra índices endêmicos de Malária entre povos indígenas. Uma homenagem será realizada pela instituição na cidade de Tabatinga (AM), na próxima quarta-feira.

Sepultamento

O corpo do suboficial Marcelo dos Santos Dias, que tinha 42 anos, deverá ser sepultado no Rio de Janeiro (RJ), cidade natal do militar. Ele deixa esposa e três filhos. O traslado do corpo deverá ser feito de Cruzeiro do Sul, no Acre, para Manaus, capital do Amazonas, ainda neste domingo e, posteriormente, para o Rio. De acordo com informações do 7º Comar, a esposa do suboficial acompanha a operação em Cruzeiro do Sul.

O suboficial foi encontrado pelas equipes de busca da Aeronáutica distante 2,5 mil metros do local do acidente, no igarapé Jacupará. Ele teria conseguido sair do avião e socorrido algumas das vítimas, mas não há maiores informações sobre as causas da morte. Além dele, o técnico de enfermagem João de Abreu morreu no acidente.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG