RECIFE (Reuters) - O material recolhido nesta quinta-feira por uma fragata da Marinha na área em que são feitas as buscas pelo Airbus A330 da Air France não é da aeronave que desapareceu sobre o Atlântico quando fazia a rota Rio de Janeiro-Paris no domingo, disse o diretor do Departamento de Controle do Espaço Aéreo da FAB. Até o momento nenhum pedaço de aeronave foi recolhido, disse a jornalistas o brigadeiro Ramon Borges Cardoso.

O militar acrescentou que a mancha de óleo avistada nesta quinta-feira junto do material que foi recolhido provavelmente não pertence ao Airbus.

"A quantidade é muito pequena e não dá para fazer uma análise desse óleo dizendo se é dos destroços ou parte da aeronave. A maior probabilidade é que é óleo de navio, não é óleo de avião."

No início da tarde, a Força Aérea Brasileira informou em comunicado que um helicóptero que estava a bordo de uma fragata da Marinha havia retirado do oceano um suporte utilizado para acomodação de cargas em aviões --conhecido como pallet-- e duas boias.

"Confirmamos que o pallet que foi encontrado não fazia parte dos destroços da aeronave. Era uma parte que estava na região muito mais considerado para nós como um lixo", disse o brigadeiro.

"Qualquer objeto que nós encontrarmos, nós vamos fazer o recolhimento e depois fazer a análise, descartar aqueles que não façam parte da aeronave e trazer de volta para Recife aqueles que fazem parte da aeronave."

O voo AF 447 tinha 216 passageiros, sendo 58 brasileiros, a bordo. Também estavam no avião 12 tripulantes, um deles brasileiro.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.