Extradição de Carlos Abadia é aprovada pelo Ministério da Justiça

BRASÍLIA ¿ O ministro da Justiça Tarso Genro aprovou, nesta terça-feira, as duas portarias que solicitam a extradição do traficante colombiano Juan Carlos Ramirez-Abadia para os Estados Unidos. A decisão foi publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial da União.

Redação |

Evelson de Freitas/AE
Abadía
Abadía ao ser preso no ano passado
A extradição ia ser encaminhada ao presidente Lula para ser sancionada, mas, segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Justiça, esse trâmite não será necessário. O presidente delegou ao ministro Tarso Genro a competência para ratificar a decisão com o intuito de diminuir a burocracia e agilizar o processo.

O ministério agora irá articular todas as medidas necessárias junto às autoridades americanas competentes para que a extradição aconteça o mais rápido possível. De acordo com o secretário Nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, a extradição do traficante colombiano deverá acontecer no prazo entre uma semana e dez dias. Segundo ele, a decisão irá enfraquecer algumas organizações criminosas no Brasil.

"Temos que causar o maior grau de letalidade possível às organizações criminosas. No caso de Abadía, tenho convicção de que a extradição imediata dele vai cumprir melhor esse objetivo, pois as investigações relacionadas a ele no Brasil já foram esgotadas", disse.

A extradição de Abadía já havia sido aprovada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 13 de março. Entretanto, o ministro da Justiça via com cautela a questão.

"Estamos examinando com cautela e em parceria com o governo e a Embaixada americanos a oportunidade de cumprir a aceitação de extradição", disse Tarso no início do mês.

De acordo com ele, a condenação de Abadía no Brasil seria pequena porque ele não é acusado de tráfico de drogas no País, mas sim de lavagem de dinheiro. Nos EUA, Abadía responde a processo por lavagem de dinheiro, conspiração para o tráfico internacional de cocaína e homicídio.

"As acusações sobre ele nos Estados Unidos são gravíssimas e dariam uma pena muito maior", disse.

Abadía está detido no presídio federal de segurança máxima de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Ele foi preso em agosto do ano passado em um condomínio de luxo em Aldeia da Serra, em Barueri, na Grande São Paulo.

* com informações da Agência Estado

Veja também:

Leia mais sobre: Carlos Abadía

    Leia tudo sobre: abadiaextradição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG