Ex-secretário de Yeda pede ao MP dado sobre denúncia

O ex-secretário da Fazenda do Rio Grande do Sul Aod Cunha de Moraes Júnior entregou hoje um requerimento ao Ministério Público Federal (MPF), por intermédio de seu advogado, Gabriel Magadan, no qual pede esclarecimentos sobre se o órgão teria ou não investigações envolvendo seu nome e denúncias feitas pelo PSOL. No dia 19 de fevereiro, líderes do PSOL acusaram a governadora Yeda Crusius (PSDB) e ex-colaboradores de ter participado ou tomado conhecimento da existência de caixa 2 na campanha eleitoral de 2006, sem apresentar provas.

Agência Estado |

Além do pedido de informações ao MPF, o ex-secretário já havia interpelado judicialmente a deputada federal Luciana Genro (PSOL-RS), o vereador Pedro Ruas (PSOL) e o próprio PSOL para responder sobre as denúncias. O MPF deve encaminhar uma resposta à consulta de Aod Cunha até a próxima terça-feira. Se for confirmada a inexistência de procedimento envolvendo o ex-secretário, seu advogado afirmou que irá avaliar ação criminal contra os denunciantes e pedido de indenização de seu cliente por danos morais.

O procurador-chefe da Procuradoria da República no Rio Grande do Sul, Antônio Carlos Welter, disse hoje que não poderia afirmar sobre a existência ou não de procedimento no MPF envolvendo o ex-secretário e explicou que o órgão fornecerá esse tipo de resposta somente aos que solicitarem. Aod Cunha foi um dos nomes citados pelo PSOL, que disse ter baseado a denúncia em áudios, vídeos e depoimentos que fariam parte do processo contra os réus da Operação Rodin. A operação investigou fraude no Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG