Ex-sargento da PM é preso suspeito de mortes em série

SÃO PAULO - A Justiça decretou a prisão temporária de 30 dias do sargento reformado da Polícia Militar Jairo Francisco Franco, de 46 anos, acusado de ter cometido o último assassinato no Parque dos Paturis, em 19 de agosto deste ano. Ele foi preso nesta quarta-feira à noite pela Polícia Civil de Carapicuíba, na Grande São Paulo.

Redação com Agência Estado |

Acordo Ortográfico Policiais também investigam a possível participação dele em outras 12 execuções no mesmo local, entre julho do ano passado e agosto de 2008.

Franco foi preso em seu apartamento em Osasco, na Grande São Paulo. Em depoimento na Delegacia Seccional de Carapicuíba, o sargento negou envolvimento no crime.

AE
Ex-PM é preso sob suspeita de ter cometido crimes contra homossexuais



De acordo com o delegado-seccional Paulo Fortunato, o acusado foi reconhecido por duas testemunhas.

Ainda de acordo com o delegado Fortunato, o sargento Franco acabou relacionado aos crimes no parque depois que investigadores consideraram que o policial é o principal suspeito de matar Pedro José Itavam, de 27 anos, conhecido como o travesti Pamela. O assassinato ocorreu em 17 de outubro deste ano e foi cometido no Hotel Autonomista, no centro de Osasco.

Entre julho de 2007 e agosto desse ano, 13 pessoas - a maioria homossexuais - foram assassinadas dentro do parque, freqüentado à noite por gays. Muitos corpos foram encontrados com as calças na altura do joelho e as vítimas foram executadas com tiros na cabeça. Por isso, a polícia acredita que exista um "serial killer" na região. Em visita à cidade ontem, o governador do Estado, José Serra (PSDB), disse que já solicitou a PM um reforço na segurança no parque. A polícia vai chegar ao criminoso, disse.

(*Com informações do jornal "O Estado de S. Paulo")

Leia mais sobre: assassinato

    Leia tudo sobre: assassinato

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG