Exposição na Noruega mostra fotos de baleias em tamanhos natural

Por Wojciech Moskwa OSLO (Reuters) - Fotografar baleias é notoriamente difícil, dizem os fotógrafos submarinos, pois o maior animal da Terra é tímido e grande demais para ser mostrado em detalhes.

Reuters |

Mas uma nova exposição na Noruega mostra pela primeira vez na história fotos de baleias em tamanho natural, usando uma moderna tecnologia que produz imagens mais nítidas e íntimas desse mamífero marinho.

"Sensíveis, curiosas e gentis -- a maioria das pessoas jamais teria a chance de ver baleias assim", disse o norte-americano Bryan Austin, ex-pesquisador da vida marinha que passou grande parte dos últimos cinco anos fotografando as baleias em "close".

Para produzir uma só foto, uma baleia tem de passar nadando por Austin a uma distância máxima de 2 metros. Com uma câmera especial, o fotógrafo-mergulhador faz cerca de 15 fotos de partes diferentes do animal a cada vez.

Depois, usando um software de edição de imagens, ele junta as fotos em uma só imagem, criando uma ilustração detalhada sem ter de sacrificar a sensação relativa às gigantescas proporções do bicho.

"A maioria das baleias é tímida, ou simplesmente não se interessa por pessoas, então é preciso buscar indivíduos que sejam curiosos e inquisidores, o que pode levar três ou quatro meses de mergulhos diários", afirmou Austin à Reuters.

"Só poderia haver dois ou três encontros a cada saída dessas, em parte porque as baleias gostam de rolar para obter uma visão melhor, o que pode dificultar na transformação das fotos."

Austin mergulhou com baleias jubarte no Caribe, com cachalotes no Pacífico e com baleias minke na Austrália. A baleia azul, maior criatura que já viveu na Terra, com a língua do tamanho de um elefante, é tímida demais para que haja uma aproximação.

A exposição é propositalmente realizada na Noruega, um dos últimos países do mundo onde ainda há caça a baleias, desafiando um memorando internacional.

Parcialmente financiada por grupos antibaleeiros locais, e pensada para estimular o debate em torno da questão, a exposição, que vai durar um mês, ocorre em um museu sobre a atividade baleeira na localidade litorânea de Sandefjord (sul).

"Fornecemos um importante contraste em relação às imagens apresentadas no museu," disse Austin. "Mostro às pessoas uma visão intimista, em 'close', e dou às pessoas uma oportunidade de serem tocadas."

Algumas fotos da exposição, intitulada "Olho no Olho," podem ser vistas no site http://www.oyetiloye.no/aboutwhales.htm.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG