Exportação de soja em grão do Brasil soma quase US$2 bi em julho

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações brasileiras de soja em grão aumentaram 121 por cento em julho, em relação ao mesmo mês de 2007, para 1,9 bilhão de dólares, informou em nota o Ministério da Agricultura nesta quinta-feira. O bom resultado foi obtido tanto pelo aumento de preços no mercado externo (71,8 por cento), quanto pelo incremento da quantidade exportada (28,7 por cento), afirmou o comunicado.

Reuters |

Em julho, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), o Brasil exportou 3,98 milhões de toneladas do grão, contra 3,093 milhões no mesmo período do ano passado.

No mês passado, o Brasil teve o segundo maior volume de soja exportado no ano, atrás apenas do recorde histórico registrado em maio (4,44 milhões de toneladas).

As vendas de farelo de soja em julho subiram 97,7 por cento na comparação com julho do ano passado, chegando a 536,5 milhões de dólares. Segundo o ministério, os preços internacionais do produto subiram 74,9 por cento no período, e a quantidade exportada, 13 por cento.

Já as exportações de óleo de soja subiram 19,5 por cento em volume e 101,8 por cento em receita, somando 391 milhões de dólares.

BALANÇA AGRÍCOLA

O complexo soja, que lidera as exportações do agronegócio do Brasil, foi, segundo o ministério, um dos principais setores a contribuir para o expressivo crescimento de 50 por cento nas vendas externas agrícolas do Brasil no mês de julho.

As vendas externas do setor somaram 7,9 bilhões de dólares, e o superávit alcançou 6,8 bilhões de dólares.

Além do complexo soja, carnes, produtos florestais e o complexo sucroalcooleiro também contribuíram para o bom desempenho.

No período de 12 meses entre agosto de 2007 e julho de 2008, as exportações do agronegócio brasileiro somaram 68,1 bilhões de dólares, 24 por cento a mais do que no período anterior. O superávit do setor foi de 57,3 bilhões de dólares.

O complexo soja, com vendas externas de 16,5 bilhões de dólares no período, e as carnes, com 13,5 bilhões de dólares, se destacaram nesse período.

Em julho de 2008, as exportações das carnes bovina, de aves e suína subiram 55,2 por cento na comparação com julho de 2007, somando 1,4 bilhão de dólares.

'O bom resultado do setor foi devido ao aumento dos preços e também pelo crescimento das quantidades exportadas das carnes de aves e suína', disse o ministério.

Segundo o comunicado, as exportações de carne bovina in natura aumentaram 49 por cento, com um incremento de 55,5 por cento dos preços no mercado externo.

Já as vendas externas de carne de frango cresceram 61 por cento na comparação com julho de 2007. E as de carne suína no mês de julho foram 88,8 por cento maiores do que o mesmo mês do ano anterior.

DESTINOS

Segundo o Ministério da Agricultura, a União Européia foi o principal destino das exportações agrícolas do Brasil entre agosto de 2007 e julho de 2008. 'Entretanto, a Ásia, excluindo os países do Oriente Médio, praticamente empata com a UE, no mês de julho.'

O fator mais decisivo foram as vendas para a China, que assumiu em maio o primeiro lugar no ranking dos principais clientes brasileiros, com um crescimento de 103 por cento nos primeiros sete meses do ano e 13,2 por cento de participação no total exportado pelo agronegócio.

Países baixos (9,5 por cento) e Estados Unidos (8,7 por cento) vêm na sequência.

O ministério apontou ainda uma redução nos volumes importados de trigo em julho (19 por cento), arroz (65,2 por cento) e milho (75,8 por cento). Mas, por conta da alta de preços, os gastos com essas importações subiram 55,2 por cento.

(Por Fabio Murakawa)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG