Explosão de granada em aterro sanitário deixa 2 mortos no Rio

RIO (Reuters) - Ao menos 2 pessoas morreram e 5 ficaram feridas na explosão de um artefato em um aterro sanitário próximo a uma unidade do Exército no bairro de Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, informaram o Corpo de Bombeiros e a polícia nesta terça-feira. Segundo a Polícia Civil, o artefato era uma granada.

Reuters |

A polícia já começou a ouvir testemunhas e algumas delas afirmaram que se tratava de uma granada de uso das Forças Armadas.

"Vamos procurar ouvir os sobreviventes assim que eles tiverem condição para tentar desenhar a verdade dos fatos", disse a delegada Marcia Helena Julião.

As marcas da explosão ficaram em muros e paredes e até no teto de alguns imóveis.

Segundo testemunhas, o artefato explosivo foi encontrado por catadores de lixo que frequentam o campo sanitário. Duas pessoas morreram na hora da explosão e, segundo os bombeiros, duas vítimas estão em estado grave.

"Foi uma explosão muito forte, de um petardo que ainda não sabemos de que tipo era", disse por telefone um sargento das Relações Pública do Corpo de Bombeiros. "Os moradores sentiram o abalo e entraram em contato imediatamente", acrescentou.

Um dos feridos informou que o artefato parecia com uma granada ou com uma munição usada em lança-mísseis.

"Estavam com a bomba e ela caiu, mas eles não tinham noção do que era", afirmou Marcio Barbosa, parente de uma das vítimas.

Ainda não se sabe se o artefato pertencia à base militar de Gericinó ou se foi abandonado no aterro sanitário.

"Há uma informação de que os artefatos foram encontrados armazenados dentro do centro de reciclagem. As informações iniciais dão conta que as pessoas estariam tentando destruir os artefatos para vender o ferro", disse o coronel da Polícia Militar, Luiz Rodrigues, que esteve no local da explosão. "O cenário era de guerra, com corpos e feridos para todo lado."

O Exército informou que despeja resíduos e lixos no aterro sanitário próximo à unidade militar e que vai ajudar a polícia nas investigações sobre a explosão.

Bombeiros de vários quartéis foram acionados e ruas e avenidas próximas ao local da explosão foram interditadas ao trânsito.

No campo de Gericinó são feitas manobras e instruções por parte dos militares do Exército.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG