Experimentar é o melhor jeito de comprar colchões Por Eleni Trindade São Paulo, 16 (AE) - Fundamental para a saúde, um colchão adequado influencia muito na qualidade de vida. Sua escolha, portanto, é uma questão de saúde antes de tudo, e não só de conforto.

Mas, para acertar, é preciso pesquisar e testar produtos em várias lojas para sentir qual deles é o mais confortável. "O consumidor deve experimentar vários produtos para verificar o que é melhor para seu peso e altura, além de procurar saber qual a densidade do colchão, isto é, qual o peso máximo suportado por ele", recomenda Silmara Buzo, técnica do Procon de São Paulo.

"O produto ideal é aquele que melhor absorve a curvatura do corpo, por isso não pode ser muito duro, porque é ruim para a circulação, e nem muito mole, porque não dá a sustentação necessária", afirma o médico ortopedista Rômulo Brasil Filho.

Quem apenas vê o colchão não consegue saber se, de fato, ele é ideal para o uso prolongado. Daí a necessidade de fazer uma escolha com mais calma. "O ideal é dar preferência a marcas com reputação no mercado, pois um bom colchão resulta num bom sono e numa melhor qualidade de vida", diz Enrique Millan, gerente de marketing de Poliuretanos da Dow para a América Latina, fornecedora matéria-prima para colchões.

Analisar a embalagem e o rótulo em busca de certificações é a melhor forma de descobrir a procedência do produto. Antonio Gomes, diretor do Instituto Nacional de Estudos do Repouso (Iner), destaca que é importante verificar se o colchão escolhido tem o selo Pró-Espuma, pois essa certificação indica que a resistência e qualidade da mercadoria foram testadas e aprovadas dentro das normas técnicas vigentes no País.

"A compra de um colchão barato demais pode sair cara para a saúde do consumidor", afirma. Escolhido o produto, guarde o folheto ou o encarte que traz as suas características porque se houver descumprimento da oferta ou defeito é possível apresentá-lo como prova.

GARANTIA
É bom lembrar, porém, que o lojista não é obrigado a trocar o produto em caso de problemas com, por exemplo, medidas erradas. "O consumidor deve levar as medidas na loja para evitar levar para casa um colchão que não cabe na cama", destaca Silmara Buzo do Procon. Outra recomendação é exigir por escrito as informações da garantia, pois há prazos diferentes para determinadas partes do colchão. "O tecido costuma ter prazo reduzido, em seguida vem a espuma e as molas têm mais prazo de garantia".

Boxe:
DICAS PARA CONSERVAR SEU COLCHÃO
Não deixe cair líquidos ou produtos químicos sobre o colchão

Para conservação e higiene, passe aspirador e deixe-o ao sol e em local ventilado algumas vezes

Não coloque nada no estrado para não impedir a circulação de ar

Virar o colchão e inverter as extremidades (pés e cabeça) com frequência também contribui para a durabilidade do produto

Durante a compra, exija que os diferentes prazos para garantia de partes do colchão (tecido, espuma, molas) estejam expressas de forma clara na nota fiscal

Se o produto é de mostruário, as características (manchas, rasgos, riscos) devem constar na nota fiscal e ser conferidas na hora da entrega

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.