BRASÍLIA (Reuters) - José Serra deixa o governo de São Paulo para ser, pela segunda vez, o candidato do PSDB à Presidência da República. Líder nas pesquisas de intenção de voto, Serra demorou para admitir publicamente que disputaria a Presidência, o que ocorreu há pouco menos de duas semanas. O lançamento oficial de sua pré-candidatura, em uma festa de tucanos com DEM e PPS ocorre no próximo dia 10, em Brasília.

INÍCIO NA POLÍTICA

Os primeiros contatos do paulistano Serra, hoje com 68 anos, com a política ocorreram durante seus tempos de estudante. Foi presidente da União Estadual dos Estudantes de São Paulo (UEE-SP), entre 1962 e 1963, e presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), entre 1963 e 1964.

Cursava engenharia civil na USP quando se viu forçado ao exílio devido ao golpe de Estado de 1964. Até 1978 morou no exterior, onde obteve o mestrado em Economia, pela Universidade do Chile, e o doutorado em Ciências Econômicas, pela Universidade de Cornell (EUA).

LEGISLATIVO E MINISTÉRIOS

Serra foi um dos fundadores do PMDB e, pelo partido, foi eleito deputado federal constituinte em 1986. Foi reeleito em 1990 já pelo PSDB, legenda que ajudou a criar juntamente com Fernando Henrique Cardoso e Mario Covas, entre outros.

Em 1994 o tucano se elegeu senador por São Paulo, mas exerceu pouco tempo seu mandato, já que ocupou os Ministérios do Planejamento e da Saúde nos governos de Fernando Henrique Cardoso.

Na sua gestão na pasta da Saúde, coordenou a implantação dos medicamentos genéricos, brigou pela redução de preços de drogas contra Aids e atuou pela regulamentação da Lei de Patentes a partir de resolução da Organização Mundial do Comércio (OMC), que autoriza a quebra de patentes em casos de emergência nacional na área de saúde.

A primeira experiência de Serra como administrador público ocorreu em 1983, quando assumiu a Secretaria de Economia e Planejamento do governo paulista liderado por André Franco Montoro.

DERROTAS E VITÓRIAS NO EXECUTIVO

Apesar de político bem-sucedido, o tucano demorou para vencer em eleições para cargos do Executivo.

Em 1988, quando candidatou-se à Prefeitura de São Paulo pela primeira vez, ficou em quarto lugar. Oito anos depois, deixou o Ministério do Planejamento para concorrer novamente à prefeitura, mas sequer chegou ao segundo turno.

Ao tentar a Presidência da República em 2002, nova derrota.

Serra só venceu sua primeira eleição para o Executivo em 2004, quando foi eleito prefeito de São Paulo. Apesar da promessa de cumprir o mandato até o final, pouco mais de um ano depois de assumir, deixou a prefeitura para disputar e ganhar as eleições para o governo do Estado.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.