BRASILIA - O senador Expedito Júnior (PSDB-RO) garantiu nesta quarta-feira que pretende recorrer ao próprio Supremo Tribunal Federal (STF), que mais cedo pediu ao Senado que confirmasse a perda de mandato do tucano. O parlamentar afirmou que irá brigar pelo mandato dele ¿até o último momento¿ e estuda com seu advogado a melhor forma de fazê-lo.

Como é que o Supremo tem dois pesos e duas medidas? O que a Mesa fez foi seguir jurisprudência aberta pelo próprio Supremo no julgamento do senador [João] Capiberibe. Eu me sinto injustiçado porque fui eleito pela decisão majoritária do meu Estado, alegou. 

A estratégia do senador por Rondônia é tentar repetir o que houve no caso de Cabiperibe que, após ter o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), teve o assunto tratado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. 

Júnior é acusado de compra de votos e abuso de poder econômico nas eleições de 2006. A primeira derrota dele no tribunal foi em 2008, quando teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TER-RO). Em junho último, ele teve outra perda no TSE, mas conseguiu permanecer no cargo, por determinação da Mesa Diretora do Senado, que optou em mantê-lo até que se encerrassem as chances de recursos.

Na decisão de hoje no STF, por 7 votos a 1, os ministros acolheram o pedido do segundo colocado na eleição de 2006 para senador por Rondônia, Acir Gurgacz (PDT), favoráveis ao  mandado de segurança contra Júnior.

Durante o julgamento, o ministro do STF, Celso de Mello, avaliou como "inaceitável" o fato da Mesa Diretora não ter cumprido a decisão do TSE de cassar o mandato do senador.

Leia mais sobre: mandato cassado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.