BRASÍLIA - A delegada titular do 1º DP de Brasília, Martha Vargas, confirmou nesta terça-feira que o ex-ministro do Tribunal Supérior Eleitoral (TSE), José Guilherme Villela, de 73 anos, sua esposa Maria Carvalho Mendes Villela, de 68 anos, e a empregada doméstica do casal Francisca foram mortos a facadas por volta das 19h30 da última sexta-feira.

AE
Villela defendeu Collor durante o impeachment
Villela defendeu Collor durante impeachment

Os corpos foram encontrados no apartamento da família, em Brasília,  na noite desta segunda-feira. Villela foi assassinado com 32 facadas e Francisca com 19. A polícia não informou o número de facadas que foram dadas em Maria. 

A suspeita da polícia é de que seja um caso de latrocínio - roubo seguido de morte - porque caixas de joias foram encontradas vazias no apartamento. Porém, como não há sinal de arrombamento na porta, a delegada acredita que o criminoso conhecia as vítimas.

Os corpos das três vítimas foram encontrados pela neta do casal, que foi ao apartamento com um chaveiro para abrir a porta do local, pois estava preocupada com o sumiço dos avós.

De acordo com a delegada Martha Vargas, responsável pelo caso, foi achada uma faca de cozinha no local. "O corpo de uma das vítimas foi encontrado no corredor que dá acesso aos quartos da residência. Já os outros dois corpos da empregada Francisca e do proprietário do apartamento foram localizados no corredor que dá acesso à cozinha", afirmou.

A polícia já ouviu sete depoimentos. A delegada contou que há suspeitos, mas eles não serão revelados para não atrapalhar as apurações.

O motorista que trabalhou com o advogado por 13 anos no Tribunal de Contas da União, Paulo Humberto Espíndola, de 65 anos, esteve na delegacia e contou que Villela era um homem muito tranquilo e, aparentemente, sem inimigos. "Que eu saiba não tinha [inimigos]. Fiquei sabendo [da morte] ontem à noite. Minha filha que me contou. Eu fiquei louco e vim para encontrar o filho e dar apoio", disse.

O filho do casal, Augusto Villela, no entanto, já havia deixado a delegacia. O casal tinha ainda uma filha. Os dois estão decidindo se o enterro será em Brasília ou em Minas Gerais, terra natal do advogado.

Biografia

José Guilherme Villela nasceu em Manhuaçu, em Minas Gerais.

Ministro do Tribunal Superior Eleitoral de 1980 a 1986, nos primeiros anos como Juiz Suplente e nos quatro últimos como Juiz Efetivo. Além das quatro indicações de que resultaram as nomeações citadas, foi indicado em diversas outras listas tríplices para o cargo, organizadas pelo Supremo Tribunal Federal.

O advogado defendeu o ex-presidente Fernando Collor durante o processo de impeachment, em 1992.

Leia mais sobre Collor

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.