O ex-ministro do Gabinete da Segurança Institucional da Presidência da República general Alberto Mendes Cardoso declarou hoje, durante reunião da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos cartões corporativos, que há casos em que o sigilo de documentos presidenciais deve ser preservado e que mesmo o Tribunal de Contas da União (TCU) respeita essas situações. Logo depois começou o depoimento à CPMI do ministro da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca, Altemir Gregolin, investigado por irregularidades no uso de cartões corporativos.

Em seguida, os parlamentares devem ouvir o diretor do setor de cartões de crédito do Banco do Brasil, Alexandre Correa Abreu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.