Ex-médico Caron pede ao STF suspensão de julgamento

A defesa do ex-médico Marcelo Caron entrou ontem no Supremo Tribunal Federal (STF) com pedido de suspensão do julgamento - marcado para o dia 7 - em que responderá pelos crimes de homicídio qualificado e prática ilegal de atividade médica na área de cirurgia plástica. Caron é acusado de ter provocado a morte de Grasiela Murta de Oliveira e de Adcélia Martins de Souza por causa de complicações provocadas por cirurgias de lipoaspiração feitas em 2002.

Agência Estado |

Além das duas pacientes, ele é apontado pelo Ministério Público (MP) como responsável pela morte de mais três mulheres e pela deformação de 29, todas em consequência de falhas em procedimentos cirúrgicos. O ex-médico usava diploma falso de especialização em cirurgia plástica.

A ação ajuizada pela defesa de Caron alega que o presidente do Tribunal do Júri de Taguatinga, cidade-satélite do Distrito Federal, onde o ex-médico irá a Júri popular por homicídio qualificado, teria marcado a data do julgamento sem levar em conta pedido de habeas-corpus interposto no STF pelos advogados do ex-médico, que questionam se o réu deve responder por homicídio qualificado ou simples.

Atualmente, o recurso aguarda decisão do ministro Celso de Mello e tem parecer contrário do MP. Caberá agora ao ministro analisar a ação e decidir se o julgamento poderá ocorrer no dia 7. A previsão é de que a decisão seja divulgada na próxima semana.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG