Ex-líder, Serra diz que UNE hoje é partidarizada

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), acusou hoje a União Nacional dos Estudantes (UNE) de ter ligação com partidos políticos. A UNE era super politizada e muito atuante, diferente do que é agora.

Agência Estado |

Hoje é mais partidarizada e diluída", disse, em entrevista após evento de governo na capital paulista. O tucano foi presidente da entidade estudantil nos anos 60, na época do golpe militar.

"Os líderes estudantis eram líderes porque eram líderes, não por questão de partido", disse Serra. A lembrança dos tempos de estudante surgiu quando o governador inaugurava em Heliópolis, zona sul da cidade, uma escola estadual que ganhou o nome do ex-secretário da Educação paulista Carlos Estevam Martins.

"Conheci Carlos quando eu tinha 20 anos e ele era presidente do Centro Popular de Cultura da UNE. Naquela época, a UNE era menor, mas tinha outro conteúdo", disse a uma plateia de cerca de 200 pais e professores e de 150 crianças.

Pesquisa


Serra evitou avaliar a pesquisa de intenção de voto do Ibope/Diário do Comércio, divulgada ontem. O possível candidato do PSDB à Presidência limitou-se a dizer que o levantamento era uma "fotografia do momento" e que o cenário eleitoral muda a cada pesquisa. Os dados mostram Serra com 36% das intenções de voto e a ministra-chefe da Casa Civil Dilma Rousseff, provável candidata do PT, com 25%.

Professores

O atual secretário da Educação, Paulo Renato Sousa, aproveitou o evento para reclamar de uma declaração recente do ministro da Educação, Fernando Haddad, que disse planejar um programa de promoção de professores por mérito no âmbito federal.

"Achei excelente o ministro dizer isso, mas ele não falou que São Paulo já está fazendo isso", alfinetou. "Somos pioneiros e estamos enfrentando a oposição do sindicato dos professores, dominado por correligionários do ministro."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG