em legítima defesa - Brasil - iG" /

Ex-jogador diz que matou ex-mulher em legítima defesa

SÃO PAULO - O ex-jogador de futebol Janken Ferraz Evangelista, de 29 anos, acusado de matar a facadas a ex-mulher Ana Cláudia Melo da Silva, de 18 anos, e fugir com o filho do casal, de 1 ano e 8 meses, na noite do último domingo, deu uma entrevista coletiva no início da manhã desta sexta-feira, na qual alegou ter agido em legítima defesa. Ele falou com os jornalistas por cinco minutos na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no Centro de São Paulo.

Redação com Agência Estado |

AE
Jaken fala com jornalistas no DHPP
Chorando e orientado por dois advogados, Evangelista afirmou que discutiu com Ana depois de flagrá-la falando ao celular com o goleiro Fábio Costa, do Santos.

Ele disse que tentou tomar o celular da ex-mulher quando ela pegou uma faca e o atacou. Depois de uma luta corporal, o ex-jogador afirmou que conseguiu tomar a faca das mãos de Ana.

Segundo o delegado Marcos Carneiro, o acusado disse ter pensado que havia apenas ferido a mulher, sem saber de sua morte quando fugiu.

A briga teria acontecido logo depois que o casal chegou do Pacaembu, onde acompanhou a partida entre Corinthians e Santos junto com o filho. Evangelista prestou depoimento nesta madrugada por cerca de cinco horas e meia no DHPP.

Em seguida, foi levado à carceragem do local, mas deve ser transferido para o Centro de Detenção Provisória (CDP) do Belém, de acordo com o delegado.

O filho de Janken e Ana Cláudia permanece na Bahia com a avó paterna e a posse definitiva de sua guarda ainda deve ser decidida pela Justiça.

Jogador nega envolvimento

Na tarde de quarta-feira, o goleiro Fábio Costa convocou a imprensa para dar explicações, ao lado da mulher, Mônica, logo após o treino do Santos. Fábio Costa disse que conheceu Ana Cláudia em 2005, quando jogava no Corinthians, e que deu ingressos a ela para o clássico no Pacaembu, mas negou ter qualquer ligação com a vítima.

AE

Janken Evangelista foi preso na quarta-feira em Teixeira de Freitas

Ela me ligou na semana passada e pediu ingressos, disse o jogador. Ele afirma que avisou à jovem que pegasse as entradas com um segurança no portão do estádio e não teve mais contato com ela.

Fábio Costa falou que não tinha contato com Ana havia um mês - até o pedido de ingressos. E afirmou que o contato era normal, como jogadores têm com torcedores. A minha responsabilidade vai até o pedido de ingressos. Cedi. O que aconteceu depois não pode me ser atribuído, disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. 

Assista ao vídeo abaixo:

Leia mais sobre assassinato

    Leia tudo sobre: assassinatojaken evangelista

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG