Ex-jogador disse que briga motivou crime, relata polícia

Uma briga teria motivado o ex-jogador de futebol Janken Ferraz Evangelista a matar a ex-mulher, Ana Cláudia Melo, no domingo, em São Paulo, disse o acusado à polícia. De acordo com o chefe do Departamento de Polícia do Interior (Depin), Bernardino Freitas Filho, Evangelista teria dito que discutiu com a ex-mulher depois de ela receber uma mensagem pelo telefone celular de outro jogador, que não teve o nome revelado.

Agência Estado |

Eles estariam na cozinha do apartamento no momento. O ex-jogador também teria contado que fugiu de São Paulo levando o filho do casal, de 1 ano e 8 meses, de táxi. "Apreendemos o telefone como prova da motivação", acrescentou o coordenador da 8ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin), Nélis Araújo Junior.

O acusado não quis comentar o crime. "Meu advogado vai falar por mim depois que eu chegar a São Paulo", disse. Evangelista foi apresentado na manhã de hoje pela Polícia Civil baiana na sede do órgão, em Salvador. Ele foi preso ontem por agentes da 8ª Coorpin, de Teixeira de Freitas (BA), 884 quilômetros ao sul da capital baiana. Depois de passar a noite viajando até Salvador acompanhado por dois delegados, Evangelista chegou ao prédio da Polícia Civil por volta de 9 horas. Pouco depois, foi apresentado pelo delegado-chefe, Joselito Bispo, por Freitas Filho e Araújo Junior.

Da sede da Polícia Civil, o ex-jogador foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), onde passa por exame de corpo de delito. A expectativa é de que ele seja levado a São Paulo na tarde de hoje em um voo comercial. Dois agentes da polícia paulista já acompanham o preso. De acordo com Araújo Junior, o filho de Evangelista e Ana Cláudia passou a noite na sede do Conselho Tutelar de Teixeira de Freitas, onde deve permanecer até que a Justiça decida com qual família a criança deve ficar.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG