Êxito do BC não depende de uma só pessoa, diz Mesquita

BRASÍLIA (Reuters) - Em meio à possibilidade de o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disputar as eleições de 2010, o diretor de Política Econômica da instituição, Mario Mesquita, procurou enfatizar que todos no BC estão comprometidos com a meta de inflação. Independentemente da conjuntura, da composição da diretoria, o BC continuará fazendo seu papel e trabalhando para entregar a inflação na meta, afirmou Mesquita ao comentar os dados do Relatório de Inflação do terceiro trimestre.

Reuters |

"O êxito do BC não é de uma ou outra pessoa, mas de toda a instituição", acrescentou.

O presidente do BC tem até a próxima semana para se filiar a um partido político e, assim, estar apto a se candidatar em 2010. Fontes afirmaram à Reuters na quinta-feira que ele "praticamente" definiu sua filiação ao PMDB.

Publicamente, Meirelles tem afirmado que, mesmo que ingresse em um partido, isso não significa que vai disputar um cargo eletivo.

Questionado sobre o fato de o mercado futuro estar sinalizando alta expressiva do juro no próximo ano, em parte por conta das incertezas em relação ao BC, Mesquita afirmou que "quem acredita que o Banco Central vai mudar muito em geral acaba se decepcionando".

O diretor também mostrou otimismo sobre a economia brasileira, notando que muitos economistas estão melhorando as projeções de crescimento do país. No Relatório de Inflação, o BC manteve em 0,8 por cento a projeção de expansão do Brasil neste ano.

Mesquita disse ainda que o BC espera queda da taxa de desemprego para 6,7 por cento em dezembro, que seria a mais baixa para o mês da série histórica. No ano, o BC aposta em taxa média de 8,1 por cento.

Em agosto, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o desemprego estava em 8,1 por cento.

(Reportagem de Isabel Versiani)

    Leia tudo sobre: bc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG