O ex-investigador de polícia Ricardo Guimarães, suspeito de integrar um grupo de extermínio em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, responde processos por 12 assassinatos no município e deverá ir a júri popular. A decisão sobre a ida a júri depende de manifestação do Ministério Público Estadual, que deve apresentar denúncia à Justiça.

Ele está preso numa penitenciária de segurança máxima em Campo Grande (MS).

Na noite de ontem, Guimarães acompanhou depoimento de uma testemunha de defesa sua de cerca de 20 minutos no Fórum de Ribeirão sobre uma acusação contra ele de ameaça, ocorrida em 2004. Cerca de 25 policiais federais fizeram um forte esquema de segurança para o depoimento. O promotor Aroldo Costa Filho considerou o depoimento irrelevante, pois a testemunha tem ligação com o acusado. Guimarães está preso desde janeiro de 2007 e ainda é suspeito de ter cometido outros dois homicídios no Rio Grande do Sul.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.