Tamanho do texto

BRASÍLIA - O agente aposentado do Serviço Nacional de Informações (SNI), Francisco Ambrósio, negou nesta quarta-feira (17), em depoimento à Comissão Mista de Atividades de Inteligência ter qualquer envolvimento no grampo ilegal que teve como alvo o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes.

Acordo Ortográfico

Nego a acusação de ter participado de qualquer escuta telefônica legal ou ilegal, sobretudo a escuta no Supremo. Não tenho a menor ideia de quem realizou essa escuta ilegal, afirmou Ambrósio.

Reportagem publicada pela revista Istoé aponta Ambrósio como coordenador dos agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) que participaram das investigações da Operação Satiagraha, da Polícia Federal.

Ambrósio contou aos parlamentares que aceitou o convite de trabalho do delegado Protógenes Queiroz, responsável pela Operação Satiagraha, porque precisava de dinheiro. Negou que a Abin soubesse de sua participação nas investigações da PF e garantiu que sua atuação se limitava a serviços burocráticos, como separar e-mails.

Leia também:

Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.