Exército encaminhará relatório parcial sobre maletas de varreduras à comissão do Congresso

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Jorge Félix, prometeu encaminhar à Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência um parecer parcial elaborado pelo Exército que dirá se as maletas compradas pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) podem ou não fazer interceptações telefônicas. A informação foi passada a jornalistas pelo senador Arthur Virgílio (AM), líder do PSDB.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

O parecer do Exército ajudará nas investigações, mas não tem caráter conclusivo. Caberá à Polícia Federal dizer se partiu ou não da Abin os grampos dos quais foram alvos o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), senadores da República e ministros de Estado.

"Eles vão remeter o laudo, mas não será amplo, até mesmo por questão de segurança", observou o presidente da Comissão, senador Heráclito Fortes (DEM-PI).

Denúncia feita pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirma que o Exército e a Abin compraram maletas capazes de fazer grampos telefônicos. Por lei, a Abin é proibida de interceptar ligações telefônicas.

Prestaram depoimento hoje o general Jorge Félix, o diretor afastado da Abin, Paulo Lacerda, e o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa.

SEM CONCLUSÃO

O senador Arthur Virgílio considera que a reunião da comissão mista, que durou pouco mais de quatro horas em sessão fechada à imprensa, não foi suficiente para explicar as denúncias de que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) teria grampeado ilegalmente autoridades brasileiras.

Ainda segundo o senador, nenhum dos depoentes soube explicar qual era a função do ex-agente do extinto Serviço Nacional de Informações (SNI), Francisco Ambrósio do Nascimento, na Operação Satiagraha da Polícia Federal. Ambrósio é apontado na mais recente edição da revista "Istoé" como coordenador dos agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) que participaram da Operação Satiagraha, da Polícia Federal.

Ambrósio é uma pessoa fantástica, ironizou Arthur Virgílio. Como alguém se reúne num grupo de 25 pessoas, ganha uma sala na sede da Polícia Federal e ninguém sabe quem é, ninguém conhece, nunca viu?, questiona.

DEPOIMENTOS

Heráclito tentará marcar para esta quinta-feira o depoimento de Francisco Ambrósio. O requerimeto de convocação dele foi aprovado mais cedo pela comissão. Também na próxima reunião da comissão mista será colocado em votação um pedido para que o ministro Nelson Jobim explique as parlamentares sobre as maletas compradas pela Abin.

    Leia tudo sobre: abinmaletas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG