Pacientes de Alzheimer que detectam a doença em seu estágio inicial e se exercitam regularmente conseguem manter por mais tempo a memória e o equilíbrio , retardando significativamente a deterioração dos tecidos na região do cérebro que controla essas habilidades. O estudo foi apresentado ontem em uma conferência internacional sobre a doença em Chicago, nos Estados Unidos.

Os pesquisadores querem entender agora como a boa forma física influi diretamente nos danos causados ao cérebro. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo .

AE-AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.