Exercício e dieta podem evitar 12 tipos de cânceres, conclui pesquisa

Medidas popularmente conhecidas como dieta saudável e prática atividade física seriam capazes prevenir 12 tipos de cânceres no Brasil. Uma análise de 7 mil estudos sobre a incidência de tumores - de mama, esôfago, rim, vesícula, pâncreas, fígado, próstata, endométrio, cólon, pulmão, além da dupla faringe e laringe, certificou essa receita de saúde que a classe médica vem repetindo há anos.

Agência Estado |

A conclusão é da pesquisa promovida pelo Fundo Mundial de Pesquisas sobre o Câncer, realizada em parceria com Instituto Americano para a Pesquisa do Câncer, intitulada Política e Ação para a Prevenção do Câncer.

No País, que integrou o levantamento ao lado de China, EUA e Reino Unido, os pesquisadores concluíram que, no geral, 30% dos casos de câncer poderiam ser evitados. Para tumores de boca, faringe e laringe o índice chega a 63%. Na avaliação do médico Fábio de Oliveira Ferreira, cirurgião oncologista do Hospital AC Camargo - um dos principais centros de estudo sobre o câncer no País - convencer a população a adotar um estilo de vida saudável para prevenir doenças é uma tarefa árdua porque os efeitos advindos com a mudança custam a aparecer.

“Se eu alterar meu comportamento hoje, passando a fazer exercícios e a comer corretamente, o reflexo disso em termos de diminuição de risco para o câncer aparecerá dentro de 10 ou 15 anos”, diz o especialista, que é doutor em medicina pela Universidade de São Paulo. Ferreira acredita que as conclusões sobre a possibilidade de prevenir o câncer podem nortear o comportamento das próximas gerações. “É possível que esse conhecimento possa servir até mesmo para aprimorar a alimentação nas escolas, dando prioridade à ingestão de fibras e diminuindo o consumo de gordura e carne vermelha. Assim, provavelmente seremos capazes de diminuir a incidência de câncer nas próximas gerações”, diz o médico.

Hábitos

A relação entre alimentação equilibrada e prevenção do câncer é tão estreita que o Instituto Nacional do Câncer (Inca) criou um departamento específico para explorar o tema já em 2007, o setor de Alimentação, Nutrição e Câncer. “Está claro para muitas pessoas que o padrão alimentar interfere nas doenças cardiovasculares e na diabete, mas em relação ao câncer isso encontra certa resistência cultural. De fato, faz parte da prevenção alterar hábitos já consolidados em muita gente, como abusar do álcool e do churrasco ”, explica o nutricionista Fábio Gomes, analista de programas para controle do câncer da instituição.

Segundo Gomes, a cervejinha do fim de semana pode ser ainda mais nefasta quando acompanhada pelo cigarro. “O abuso de álcool tem relação direta com tumores de boca, laringe e faringe. Ele torna a mucosa dessa região mais permeável, facilitando a penetração de agentes cancerígenos, como as toxinas do cigarro. Uma dessas toxinas, o alcatrão, também está presente na fumaça do churrasco e acaba impregnando a carne”, esclarece. “Um jeito de minimizar o problema é aumentar a ingestão de hortaliças e frutas, que são alimentos protetores. Sempre é possível acrescentar uma salada ao churrasco. É o teor da alimentação determina se ela será fator de proteção ou de risco para o câncer”, completa.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG