Se fosse para listar quais atividades físicas exigem muita força e concentração na hora da prática, provavelmente, você pensaria na corrida, musculação, boxe. Sim, elas demandam uma dose extra de dedicação, mas há outras opções de exercícios, como ioga, pilates e alongamento, que também seguem esse caminho.

"Tinha preconceito com esportes que pareciam calminhos e me enganei. Eles exigem muita resistência física e força de vontade", diz a promotora de eventos Jana Souza, de 38 anos, que pratica ioga há dois anos e já notou mudanças na sua estrutura física. "Tudo fica mais durinho e resistente."

"A ioga deixa o corpo mais flexível e proporcionalmente forte, além de melhorar a qualidade de vida e a alegria de viver. A pessoa fica com brilho nos olhos e serena", explica Ronite Benabou, sócia-diretora do Espaço Girassol, em São Paulo. De acordo com a profissional, "de uns anos para cá, as pessoas passaram a procurar a ioga por ser um método que traz resultados positivos para a saúde física e mental, sem o uso de medicamentos. Porém, é preciso dedicação e vontade, por ser uma atividade que exige muito da força do corpo".

No caso do pilates, que foi desenvolvido pelo alemão Joseph Pilates no início do século 20, é interessante que o aluno já pratique alguma outra atividade, pois necessita de muita força e elasticidade. Por isso, segundo Inelia Garcia, professora do The Pilates Studio, também na capital paulista, é fundamental ter acompanhamento médico. "Antes de começar a técnica é necessário procurar um especialista que indicará quais são os exercícios ideais para o futuro esportista."

"Essa prática traz uma série de benefícios, como o aumento da flexibilidade, força muscular e coordenação motora", diz Amanda Hoffmam Melo, fisioterapeuta e instrutora de pilates do Projeto Mulher. Por isso, suar a camiseta com essa técnica exige cuidados: é importante respeitar o alinhamento do corpo e controlar a respiração ao máximo.

O passo inicial para quem não tem intimidade com atividades físicas é o alongamento. "O alongamento é um aliado do ser humano, já que ajuda a manter o corpo mais flexível e adia, ou até diminui, o aparecimento de possíveis dores", explica o médico Ricardo de Marchi, mestre pela Universidade de Paris IV com especialização em Corporate Wellness and Sports Medicine (Bem-estar Corporativo e Medicina do Esporte) pela Stanford University.

Eduardo Diório

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.