BRASÍLIA - O ex-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Milton Zuanazzi e a ex-diretora da agência Denise Abreu pediram proteção pessoal ao presidente da Comissão de Infra-Estrutura do Senado, Marconi Perillo (PSDB-GO). Perillo informou que já encaminhou à Polícia Legislativa da Casa os ofícios para garantir a integridade física de ambos, desde o instante em que chegarem a Brasília até o momento dos depoimentos, que acontecem nesta quarta-feira, na comissão.


O senador tucano disse que a preocupação de Denise Abreu seria, especialmente, quanto à possibilidade de extravio dos documentos que pretende apresentar aos senadores. A ex-diretora da Anac tem afirmado que a diretoria da agência sofreu pressões da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, para beneficiar o fundo de pensão americano Matlyn Patterson e três empresários nacionais na compra da Varig e VarigLog.

"Eu creio que em relação à doutora Denise [a preocupação] seja para resguardar documentos que ela pretende trazer. Em relação ao doutor Milton Zuanazzi, nós recebemos também um pedido e já solicitamos a segurança da Casa providências idênticas e creio que deva ser em relação à integridade física", disse Perillo.

O senador descartou qualquer possibilidade de transferir algumas audiências para dar prioridade a Denise Abreu. Segundo ele, a sessão começará às 10h e todos os seis depoentes que já confirmaram presença serão ouvidos.

O presidente da comissão ressaltou, entretanto, que concederá o tempo necessário para que cada convidado esclareça todas as dúvidas dos senadores. Perillo acredita que a sessão de amanhã será "tensa" e, por isso, pretende "agir com rigor" para garantir o andamento da reunião.

"Com certeza terão senadores dos dois lados [governistas e oposição] pressionando para que ela [Denise Abreu] fale mais ou fale menos tempo. Ela vai falar o que tiver que falar. Os senadores terão tempo suficiente para fazer as perguntas que quiserem", afirma Perillo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.