Ex-deputado tem prisão preventiva decretada em Alagoas

A Polícia Civil de Alagoas indiciou e pediu a prisão preventiva do ex-deputado estadual Cícero Ferro (PMN), acusado de ser o autor intelectual do assassinato do seu primo e fazendeiro Jacó Ferro, executado a tiros no dia 28 de janeiro de 2005, em Minador do Negrão, no Serão alagoano, a 180 quilômetros de Maceió. A denúncia contra o deputado foi protocolada hoje no Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) e tem como anexo a cópia do inquérito sobre a morte de Jacó Ferro.

Agência Estado |

O delegado geral da Polícia Civil, Marcílio Barenco, informou que a comissão que investigou o caso indiciou Cícero como autor intelectual do crime e requereu sua prisão preventiva. Ele foi preso em junho deste ano, acusado de participação no assassinato, mas acabou sendo libertado por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Jacó Ferro teria sido assassinado por vingança, porque tramava um atentado sofrido pelo ex-deputado.

O deputado é acusado de ter mandado matar também o vereador Fernando Aldo, de Delmiro Gouveia, crime pelo qual também já esteve preso. Apontados inicialmente como suspeitos de participação na morte de Jacó Ferro, como autores materiais, os irmãos Eliton, o 'Tampinha', e Eronildo Alves Barros, o 'Nildo', não foram indiciados pela Polícia Civil. O primeiro está foragido e Nilton morreu num acidente de trânsito, este ano, no Recife.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG