Excesso de ozônio: Paulínia em Atenção

A concentração de ozônio aumentou muito nesta terça-feira na região de Paulínia, cidade próxima de Campinas, a pouco mais 100 km da capital paulista.

Climatempo |

A Cetesb ¿ órgão do governo paulista que faz medições e atua no controle da poluição ¿ avaliou que qualidade do ar em Paulínia estava muito ruim e decretou o estado de atenção. A escala de avaliação começa em boa, vai para regular, inadequada, má e péssima. O ozônio de Paulínia não é aquele da camada que protege o planeta Terra dos raios ultravioleta. Este ozônio é um poluente que foi sendo formado durante o dia ensolarado. Com o ar seco demais, o Estado de São Paulo, e grande parte do Brasil, tem tido dias de céu azul, quase sem nenhuma nuvem. O número de horas de sol é elevado e é a luz solar faz a reação química que gera o ozônio. Nesta terça-feira, a umidade relativa do ar chegou a 25% no aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital. O ar fica mais seco nesta quarta-feira e não há expectativa de chuva pelo menos até o domingo que vem.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG