Excesso de confiança causou acidente do Metrô, diz MP

O excesso de confiança dos funcionários do Metrô e do Consórcio Via Amarela foram determinantes para o desabamento nas obras da Estação Pinheiros em janeiro de 2007, afirmou hoje o promotor Arnaldo Hossepian. A denúncia feita por ele contra 13 pessoas que trabalhavam na construção da Linha 4 do Metrô foi aceita no início da tarde de hoje pela juíza da 1ª Vara Criminal do Fórum de Pinheiros, Margot Pegossi.

Agência Estado |

Os réus - oito funcionários do consórcio e cinco do Metrô - responderão à Justiça por homicídio culposo (sem intenção) causado por desabamento. Sete pessoas morreram no acidente.

Na denúncia, de 36 páginas, o promotor Hossepian aponta que houve negligência e imprudência por parte dos acusados. "O que levou à catástrofe foi o excesso absoluto de confiança, que fez com que certas cautelas não fossem adotadas", disse o promotor em entrevista coletiva na sede do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE). "O excesso de confiança foi determinante para o acidente."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG