Ex-assessora move ação contra Michael Jackson e pede US$ 44 milhões

LOS ANGELES ¿ A ex-assessora publicitária de Michael Jackson moveu uma ação judicial na quarta-feira contra o chamado Rei do Pop por falta de pagamento por seus serviços, pedindo 44 milhões de dólares.

Reuters |

Raymone Bain, que representou Jackson durante seu julgamento por abuso sexual infantil, em 2005, que terminou com sua absolvição, e mais tarde administrou a empresa dele, abriu uma ação cível contra o cantor em Washington por quebra de contrato.

Ela disse em comunicado que decidiu "com profundo pesar" processar Jackson, que descreveu como alguém "que eu admirei e respeitei muito".

Mas ela acrescentou: "Infelizmente, Michael Jackson optou por não honrar as obrigações financeiras de nosso relacionamento contratual, apesar de minhas numerosas tentativas de solucionar esta questão amigavelmente. Estou sinceramente decepcionada com a falha de Jackson em honrar suas obrigações."

Bain, que se formou em direito, acompanhou Jackson em alguns dos momentos mais difíceis da carreira do cantor. Ela se tornou a voz pública dele durante boa parte do longo julgamento no qual foi acusado de molestar crianças na Califórnia, nas subsequentes estadias de Jackson no Barein e na Irlanda e nas dificuldades financeiras que resultaram na venda de seu rancho Neverland Valley, na Califórnia, no ano passado.

Em 2006 ela foi nomeada gerente-geral da Michael Jackson Company, que trata dos assuntos comerciais do cantor.

Ela disse na ação que foi contratada como porta-voz em 2003 e que a partir de 2006 administrou todos os aspectos da vida de Jackson, incluindo organizar moradia para ele, refinanciamento emergencial, suas viagens, sua segurança e a programação de reuniões com produtores musicais, enquanto o cantor se esforçava para retomar sua carreira musical.

Bain vem se somar a uma longa lista de ex-assessores, contadores e amigos que processaram Jackson nos últimos anos em função de quebra de contratos e contas não pagas. A maioria dos processos vem sendo resolvida extrajudicialmente.

Um filho do rei do Barein fechou um acordo extrajudicial com Jackson em novembro, após alegações de que o cantor de "Thriller" infringira um contrato de gravação e lhe devia 7 milhões de dólares.

O atual porta-voz de Jackson, Dr Tohme K. Tohme, não retornou telefonemas pedindo declarações sobre o assunto.

Depois de passar anos vivendo como virtual recluso, Jackson recentemente anunciou que fará 50 shows em Londres a partir de julho. Os ingressos para todas as apresentações já estão esgotados.

Na ação de Bain são citados relatos da mídia segundo os quais o contrato para as apresentações em Londres, que ela afirma que ajudou a negociar, valeria 400 milhões em receita para Jackson.

Bain disse que Jackson concordou em pagar a ela 10 por cento do valor de qualquer contrato que fechasse com a ajuda dela, mas que não o fez. Ela pede 44 milhões de dólares em indenização por danos, mais as custas judiciais.

(Reportagem de Jill Serjeant)

    Leia tudo sobre: michael jackson

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG