Ex-assessor de Clinton irá dirigir a CIA de Obama

Por Andy Sullivan WASHINGTON (Reuters) - O presidente-eleito dos EUA, Barack Obama, escolheu o ex-chefe-de-gabinete da Casa Branca Leon Panetta para dirigir a CIA, disseram fontes democratas na segunda-feira.

Reuters |

A indicação, que não foi anunciada oficialmente, é surpreendente, pois Panetta tem relativamente pouca experiência em assuntos de segurança nacional, embora participasse das reuniões diárias de inteligência no governo de Bill Clinton, onde atuou entre 1994 e 1997.

A direção da CIA (Agência Central de Inteligência) era um dos últimos cargos de primeiro escalão ainda vagos no futuro governo Obama, que toma posse no dia 20. O órgão tem sido muito criticado por falhas nos últimos anos e pelo uso de técnicas agressivas em interrogatórios.

A senadora Dianne Fenstein, que deve assumir a Comissão de Inteligência do Senado, disse não ter sido informada sobre a indicação de Panetta, e sinalizou estar descontente.

"Minha posição tem sido consistentemente a de que acredito que a agência está mais bem-servida tendo um profissional de inteligência à frente neste momento", disse nota assinada pela democrata, que comandará a sabatina de confirmação de Panetta.

Durante o governo Clinton, Panetta ficou conhecido por administrar o orçamento federal. Antes, havia sido parlamentar por 16 anos. Já no governo Bush, participou do Grupo de Estudos do Iraque, uma comissão bipartidária que recomendou em 2007 uma retirada gradual das tropas norte-americanas daquele país. A recomendação foi ignorada pela Casa Branca, que preferiu enviar reforços.

Especialistas em inteligência dizem que Panetta tem a seu favor o conhecimento dos meandros do governo e a reputação de ser justo. "Foi uma surpresa, mas acho que ele vai provar que foi uma escolha valiosa", disse uma fonte muito ligada ao setor de inteligência dos EUA.

Panetta deve suceder a Michael Hayden, criticado por alguns democratas e por grupos de direitos humanos por seu apoio às políticas de combate ao terrorismo do governo Bush. Hayden assumiu a CIA para tentar resgatar sua credibilidade depois de erros relativos aos atentados de 11 de setembro de 2001 e a guerra do Iraque.

(Reportagem adicional de JoAnne Allen, Jeff Mason, Steve Holland, Randall Mikkelsen e James Vicini)

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG