Exame em UTI descarta bactéria resistente em Londrina

A Santa Casa de Londrina (PR) descartou ontem, por meio de exames clínicos realizados no final de semana em 16 pacientes, a presença da mesma bactéria Enterobacter que provocou a interdição do Hospital Universitário local há duas semanas. Havia a suspeita de que um paciente de 66 anos, que permanece internado na Santa Casa, estivesse contaminado com a bactéria Klebsiella Spp ou com a tipo Kpc, ambas resistentes a vários antibióticos, mas a hipótese foi descartada.

Agência Estado |

Apesar disso, a suspeita provocou o isolamento de duas UTIs da Santa Casa e a interdição de 16 leitos. Segundo o médico Marcos Tanita, coordenador do Serviço de Infecção Hospitalar da Santa Casa, a bactéria que o paciente tem é mais comum. “Realizamos esses exames como uma medida preventiva, mas, agora que temos os resultados, vamos seguir com o tratamento normalmente.” Mais 15 pacientes foram transferidos para outra ala. Para evitar novas suspeitas, as UTIs são desinfectadas.

Já em Campinas, no interior de São Paulo, dois recém-nascidos tiveram alta da UTI neonatal do Hospital da Mulher da Unicamp no fim de semana. Desde o dia 21, quando foi diagnosticado o terceiro caso de contaminação pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR) e classificado o surto na unidade, estão suspensas as internações de bebês. Outras 12 crianças contaminadas permanecem isoladas, em estado clínico estável. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG