Exame cardíaco é melhor no 6º mês após implante de stent, diz estudo

Paciente que sofreram enfarte e que foram tratados com desobstrução da artéria (angioplastia) pelo implante de stent devem realizar exames no sexto mês após o procedimento para ter mais chances de detecção de novos problemas, segundo confirmou a pesquisa da cardiologista Rica Dodo Delmar Büchler. Segundo a Agência USP, o dado defendido na comunidade médica foi documentado pela tese de doutorado de Rica, defendida em junho de 2007 na Faculdade de Medicina (FM), e deve ter um artigo publicado em breve em uma revista internacional especializada em cardiologia.

Agência Estado |

Foram estudados 64 pacientes do Instituto do Coração (Incor), da Faculdade de Medicina da USP, e do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, tratados por ocasião do primeiro enfarte e que realizaram o cateterismo cardíaco seguido da angioplastia até 12 horas após o primeiro sintoma, não resultando comprometimento significativo do músculo do coração.

A cardiologista comenta que exames realizados no sexto mês possibilitaram observar a melhor correlação entre reestenose e sintomas como cansaço excessivo ou dores no peito, bem como identificar áreas de menor fluxo sanguíneo. Além de provar que em seis meses, tempo que coincide com o reestreitamento dos stents, é mais fácil identificar novos pontos de isquemia (falta de circulação de sangue), no estudo foi observado que, ao longo de um ano, a capacidade física dos pacientes aumentou.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG