Nas redes sociais, os comentários são de que Rendrik Vieira Rodrigues era ótimo professor. Corpo de Suênia será enterrado às 14h

Surpresa e indignação são os sentimentos mais comuns em mensagens postadas em redes sociais por ex-alunos do professor de Direito Rendrik Vieira Rodrigues, 35 anos, que confessou ter assassinado a aluna Suênia Sousa Farias, 24 anos, nesta sexta-feira em Brasília. Segundo a polícia, Rendrik não aceitava o fim do relacionamento com a estudante do 7º semestre do curso de Direito do Centro Universitário de Brasília (UniCeub). O corpo da jovem será enterrado esta tarde .

Reprodução/Orkut
Suênia Souza Faria, 24 anos, morta pelo professor
Nas mensagens, os alunos afirmam que Rendrik era um "excelente professor, tranquilo, correto". Chocados, eles lamentam o ocorrido. Em algumas mensagens, alunas dizem "não quero mais ir à aula". No facebook, uma professora, colega de Rendrik, lamentou a morta da ex-aluna e comentou que "sabia que Rendrik também estava sofrendo nesse momento".

O corpo da estudante está sendo velado desde o fim da tarde deste sábado. O enterro está previsto para as 14h.

Entenda o caso

Rendrik abordou Suênia por volta das 14h30, quando ela saía da faculdade, de acordo com a polícia. Ela estava no carro que pertencia a seu marido, um Sandero prata, acompanhada de uma amiga, a quem daria uma carona. Rendrick teria pedido que a amiga deixasse os dois a sós e saído com a moça em direção à Taguatinga.

Não se sabe em que momento Rendrick assumiu o volante do veículo. Segundo relato do marido, logo depois ele recebeu uma ligação da mulher dizendo que ia pegar suas coisas em casa e que iria viver com o professor. O marido estranhou o tom de voz da esposa, nervosa e confusa, e foi à delegacia da cidade satélite de Taguatinga prestar queixa.

Em dado momento do percurso, na estrada Estrutural, sem se entenderem, Rendrick atira três vezes contra Suênia. Suênia levou dois tiros na cabeça e um no tórax. Depois de atirar contra a estudante, ele rodou por horas com o corpo dentro do carro até que, às 17h30 se entregou à 27ª Delegacia de Polícia no Recanto das Emas, cidade-satélite distante 26 quilômetros de Brasília, conforme relata o boletim de ocorrência.

Segundo a polícia, o professor não aceitava o fim do relacionamento e a ameaçava de morte desde o rompimento. Os dois haviam tido um caso no período em que a jovem estava separada do marido, com quem reatou há cerca de dois meses. Rendrik usou uma pistola .380 para matar a vítima. Ainda de acordo com seu relato, ele jogou a arma fora.

Sem emprego

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Distrito Federal divulgou em nota que instaurará na próxima segunda-feira um processo ético-disciplinar contra Rendrik pelo crime. Ele poderá vir a ser suspenso preventivamente e impedido de exercer a profissão.

A OAB demonstrou também "indignação e estarrecimento" com o assassinato da estudante e prestou solidariedade à família.

A Faculdade Projeção de Brasília divulgou uma nota nesse sábado afirmando que o professor Rendrik Vieira Rodrigues será "demitido e substituído imediatamente" do curso de Direito, onde atuava como coordenador.

O UniCeub também informou, por meio de sua assessoria, que deverá tomar medidas para o desligamento do professor, logo na segunda-feira.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.