Evite fazer tatuagem no verão, alerta dermatologista

O verão está se aproximando e, com ele, surge o desejo de fazer uma bela tatuagem para desfilar na praia ou na piscina. No entanto, esta não é a melhor época para tatuar o corpo, de acordo com Silvia Drummond, dermatologista do Hospital São Camilo Ipiranga, em São Paulo.

Agência Estado |

"Quando se faz uma tatuagem não se pode tomar sol, pois a pele está bastante sensível. Apesar de a tatuagem não ser muito aceita pelos dermatologistas, a melhor época para se tatuar é no inverno", diz Sílvia.

No entanto, antes de fazer um desenho sobre a pele, é necessário ponderar e avaliar se, no futuro, não existe possibilidade de arrependimento. Primeiro por motivos profissionais. "Como um advogado vai aparecer no fórum tatuado?", questiona Mônica Carvalho, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica. Segundo a especialista, também é preciso ter cuidado com a escolha do desenho e o local que ele será aplicado. "Se for o caso é melhor a pessoa tatuar locais como punhos, pés e a nuca, onde os desenhos podem ficar mais discretos e são regiões com menos tecido adiposo", afirma.

De acordo com Mônica, a preocupação que todo dermatologista tem é com eventuais alergias que a tinta utilizada no processo pode provocar. "Por isso, quando alguém está decidido a fazer uma tatuagem, deve ter o cuidado básico de preparar a pele com cremes despigmentantes à base de hidroquinona, que têm a finalidade de clarear. Sempre sob orientação médica. Mônica avisa que o uso desses cremes vai impedir ou minimizar a ocorrência de complicações indesejáveis como a hiperpigmentação pós-inflamatória e hipopigmentação transitória. "Principalmente para quem tem a pele mais morena".

Mônica enfatiza que quando a pessoa vai fazer uma tatuagem, deve procurar um lugar que trabalhe com instrumentos esterilizados. "Várias doenças, assim como a Aids são transmitidas através do sangue contaminado", diz. "A pessoa que deseja fazer uma tatuagem também precisa saber se tem tendência a fazer quelóides ou se teve algum machucado que deixou cicatriz mais significante, porque a tatuagem vai ofender a derme, já que serão colocados pigmentos nela", complementa Silvia Drummond.

Arrependimento

É preciso ter critério e evitar de tatuar nomes de namorados, por exemplo. Isso porque a retirada do desenho ou nome, além de ser dolorosa, é lenta e cara. "Retirar não é nada tão fácil assim. A técnica mais usada é o laser de Rubi. E o laser é cobrado por disparo. Às vezes são necessárias de cinco a dez sessões mensais para retirar o desenho", explica Mônica. De acordo com a médica, para a retirada também podem ser utilizados métodos como a dermoabrasão, os peelings químicos e o laser de CO2. Para quem quer pensar melhor, a dica é fazer uma tatuagem de henna. "Ela é temporária. Os desenhos podem ser feitos nas mãos, pés, ombros, e seu tempo médio de duração é de uma a duas semanas", afirma Mônica.

Adriana Bifulco

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG