O governo americano deverá aumentar o prazo de validade dos vistos de turismo e negócios para brasileiros dos atuais cinco para 10 anos. A medida faz parte de um pacote destinado a acelerar a concessão de vistos no País e ainda está sendo negociada com o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, mas pode ser anunciada já para o próximo ano.

Dentro desse processo, também está funcionando, desde o dia 15 de setembro, um mutirão nos quatro postos consulares do País - São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro e Recife - para reduzir o tempo de marcação das entrevistas, hoje o maior entrave burocrático à concessão de vistos.

O visto de 10 anos foi suspenso em 2000, na mesma época em que o governo brasileiro encurtou o prazo de validade dos passaportes. De acordo com o embaixador americano no Brasil, Clifford Sobel, já foi feito um "acordo verbal" com o governo brasileiro e até o próximo ano a mudança poderá estar instituída. Se o governo brasileiro retirar a taxa hoje cobrada para vistos de negócios para os americanos, esse tipo de visto para os brasileiros passará a ter agregado, automaticamente, o visto de turista. "É uma meta ainda, não um acordo fechado. Mas nosso compromisso é real", disse Sobel.

Desde o dia 15 de setembro, 11 novos funcionários estão trabalhando apenas no serviço de concessão de vistos no Brasil. O mutirão vai até dia 15 de dezembro. De acordo com Sobel, até o final deste ano duas companhias aéreas americanas irão iniciar vôos diretos dos EUA Unidos - Miami e Atlanta - para Manaus, Salvador, Fortaleza e Recife. "Não podemos ter mais viagens aéreas se não facilitamos o processo de vistos", disse. Até setembro, a média nacional de espera para uma entrevista era de três meses. Desde o início do mutirão, a média caiu em todos os quatro postos para cerca de 60 dias. A meta é chegar a 30 dias. A média nacional de 60 dias é elevada pelo consulado em São Paulo, o mais procurado do País.

Outras medidas foram implantadas para facilitar a vida dos brasileiros que pretendem visitar os EUA. A principal delas foi transformar todo o País em apenas um "distrito consular". Com isso, não há mais a obrigatoriedade de alguém que mora em Porto Alegre, por exemplo, fazer seu visto em São Paulo. Ou alguém de Minas Gerais ir ao Rio de Janeiro. Agora, o interessado verifica no site da embaixada qual posto consular tem a fila menor e pode agendar sua entrevista em qualquer um deles.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.