O governo de Barack Obama finalizou hoje novas regras para automóveis, destinadas a cortar drasticamente o consumo de gasolina e as emissões de gases causadores do efeito estufa. No entanto, as regras terão custos significativos para as companhias e os consumidores, elevando o preço médio de um carro novo em quase US$ 1 mil até meados da década, de acordo com estimativas do governo.

Ao estabelecer novas metas rígidas para economia de combustível e emissão de poluentes, a Casa Branca espera que todos os novos carros nas estradas dos EUA percorram em média 35,5 milhas por galão até 2016, acima do nível atual de 26,4 milhas por galão. As novas regras aceleram a transição ordenada pelo Congresso dos EUA há dois anos e meio.

Autoridades do governo disseram que as novas regras, que foram propostas pela primeira vez no fim do ano passado e envolvem carros a partir do ano-modelo 2012, são fundamentais para a agenda ambiental da administração Obama e vão incentivar tecnologias "verdes", como os carros elétricos. As novas regras deverão conservar 1,8 bilhão de barris de petróleo durante o tempo de vida dos novos carros envolvidos por elas.

A Agência de Proteção Ambiental e o Departamento de Transportes dos EUA, que elaboraram conjuntamente as regras, estimam que o custo para a indústria será de cerca de US$ 52 bilhões, abaixo dos US$ 60 bilhões ou mais previstos anteriormente.

Sob a nova política, o preço médio de um carro ano-modelo 2016 será US$ 950 mais alto do que o preço dos carros atuais. Autoridades norte-americanas disseram que os consumidores pagarão mais caro, mas economizarão com abastecimento de combustível no futuro. Segundo elas, os consumidores vão poupar US$ 3 mil durante o tempo de vida de um carro ano-modelo 2016. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.