Cientistas da Universidade do Estado da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, identificaram dois grupos de substâncias que irão aprimorar as armas contra o mosquito da dengue. Segundo os pesquisadores, a descoberta será útil para melhorar armadilhas que atraem fêmeas grávidas do Aedes aegypti.

O estudo será publicado esta semana na versão digital da revista científica "Proceedings of the National Academy of Sciences" (PNAS).

Durante a pesquisa, os cientistas colocaram recipientes com água limpa ao lado de infusões com folhas de bambu. Cerca de 85% dos ovos, em média, foram depositados nas infusões. Trabalhos anteriores já mostravam que o mosquito da dengue prefere deixar seus ovos na água com folhas em fermentação.

Os pesquisadores norte-americanos descobriram quais substâncias são responsáveis pela preferência: bactérias que degradam as folhas produzem ácidos carboxílicos específicos e metil ésteres. Segundo o estudo, eles atuam "como poderosos estímulos para a deposição dos ovos (na água)".

Coby Schal, co-autor do artigo, explicou à reportagem que dois elementos não podem faltar em uma armadilha eficaz: substâncias que só atraem mosquitos e estimulantes para a deposição dos ovos. "Nossa pesquisa já descobriu esse último elemento", afirma Schal. "Agora, vamos procurar o primeiro." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.