Cinco estudantes acusados de liderar um trote violento contra 53 calouros do curso de medicina da Universidade de Taubaté (Unitau) terão que prestar seis meses de serviços comunitários e também pagar multas entre R$ 1 mil e R$ 3 mil para uma entidade que cuida de idosos carentes na cidade.

Os veteranos foram acusados de constrangimento ilegal por, supostamente, cuspir no rosto dos novatos, os obrigar a dirigir em alta velocidade pela Via Dutra, simular cenas de sexo homossexual e comer pimenta e ração para cachorro, entre outros.

Os advogados de defesa pediram sigilo à Justiça no processo e por isso os nomes dos cinco estudantes não foi divulgado.

O processo ficou prejudicado devido à omissão das próprias vítimas e dos seus parentes. Entre os 53 jovens que sofreram o trote, somente um aluno teve coragem de levar o caso adiante. A punição foi decretada após uma audiência marcada pelo Juizado Especial Criminal e realizada no Fórum Criminal da cidade por meio de uma transação penal, acordo entre os acusados e a promotoria.

Leia mais:


Leia mais sobre:
trote

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.