Estudantes fazem protesto contra atos secretos no PR

Um grupo com aproximadamente 50 líderes estudantis e sindicais se reuniu nesta tarde em frente ao portão principal da Assembleia Legislativa do Paraná para pedir a apuração das denúncias sobre os supostos atos secretos e a existência de funcionários fantasmas na Casa. Alguns estudantes pediram a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito.

Agência Estado |

Em razão das denúncias, o diretor-geral Abib Miguel e o diretor administrativo José Ary Nassif pediram afastamento dos cargos. O novo diretor-geral é o advogado Eron Abboud, enquanto o diretor financeiro Willians Romanzini acumulará as funções do administrativo.

As denúncias em relação à Assembleia foram feitas pelo jornal Gazeta do Povo e pela TV Paranaense, ambas da Rede Paranaense de Comunicação, após investigação de quase dois anos. A investigação mostrou que o órgão editava atos secretos para fazer nomeações e demissões de servidores.

As denúncias estão sendo apuradas por uma comissão da Assembleia e pelo Ministério Público Estadual. A presidência da Casa também determinou que todos os diários oficiais estejam disponíveis na internet em 60 dias. "Queremos clareza", pediu o presidente da União Paranaense dos Estudantes Secundaristas, Mário Sérgio de Andrade, um dos organizadores da manifestação. "Estamos aqui para demonstrar o descontentamento de toda a população e cobrar Justiça das autoridades competentes", reforçou o presidente da União Paranaense dos Estudantes, Paulo Moreira Júnior.

Alguns dos estudantes estavam vestidos com lençóis simbolizando fantasmas. Por alguns minutos, eles chegaram a fechar a avenida em frente à Assembleia. A pista foi liberada com a chegada da Polícia Militar.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG