Estudantes da Unifesp organizam protesto contra reitor

Estudantes da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) fazem assembléia geral hoje, às 18 horas, para organizar manifestações contra o reitor da universidade, Ulysses Fagundes Neto, investigado pela CPI Mista dos Cartões Corporativos (CPMI) por irregularidades no uso de seu cartão corporativo. A CPMI decidiu, hoje pela manhã, convocar Fagundes Neto para prestar esclarecimentos.

Agência Estado |

Os estudantes não descartam uma ocupação. Às 15 horas Fagundes Neto concede uma entrevista coletiva para falar sobre seus gastos no cartão corporativo. De acordo com dados do Portal da Transparência, do Governo Federal, as despesas de Fagundes Neto no cartão corporativo, de janeiro de 2006 a março desse ano, somam R$ 90.726,22.

Na assembléia, no Diretório Central dos Estudantes (DCE), na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, os universitários decidirão como serão as manifestações. "Definiremos hoje como o movimento estudantil protestará contra esses absurdos. Cobramos uma postura ética do reitor", disse o coordenador-geral do DCE da Unifesp, Tiago Cherbo, do curso de Ciências Biomédicas, do campus São Paulo. "Se os estudantes forem favoráveis à ocupação da reitoria, o DCE apoiará."

O DCE fretou ônibus para transportar os alunos dos cinco campi até o local da assembléia. A Unifesp tem campi na Baixada Santista, Diadema, Guarulhos, São José dos Campos e São Paulo, onde estudam 16.018 alunos, 2.485 na graduação, 9.041 na pós-graduação lato sensu e 4.492 na pós stricto sensu, mestrado, doutorado e residência médica.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG