BRASÍLIA - Os estudantes que desde a quinta-feira ocupam o prédio da reitoria da Universidade de Brasília (UnB) decidiram neste sábado permanecerem no prédio, mas agentes da Polícia Federal seguem negociando com os estudantes para que eles deixem o local.

As principais reivindicações dos estudantes são a saída do reitor, Timothy Mulholland, e do vice-reitor, Edgar Mamiya, a dissolução do conselho da Fundação Universidade de Brasília (FUB) e a convocação de novas eleições diretas e paritárias imediatamente. A paridade entre professores, funcionários e estudantes nos conselhos e nas eleições da universidade são uma antiga reivindicação do movimento estudantil.

Na sexta-feira, a Justiça do Distrito Federal determinou a desocupação do prédio . Os alunos afirmam que não sairão e que vão recorrer da decisão.

Os estudantes estão trancados na reitoria e recebem apoio de outros alunos que estão acampados do lado de fora. Comida e bebida são compradas com recursos arrecadados de alunos e professores na própria UnB e encaminhados aos estudantes por meio de sacolas amarradas em cordas.

Pela manhã, os acampados fizeram reunião para definir a estratégia de atuação durante o fim de semana. O temor é que a polícia retire à força os manifestantes, mas, segundo estudante de Geografia Gregório Borges, há a garantia do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, para que a polícia se mantenha distante da UnB.

Leia mais sobre: UnB

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.